sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Bruxas no Castelo?!

Hoje um menino da nossa escola deixou-nos uma proposta para um belo passeio em família no Castelo de S. Jorge, "A Bruxa Cati". Esta peça realizar-se-à nos dias 4,5 e 6 de Novembro às 15 horas e nos dias 7 e 8 de Novembro às 16 horas.


Para mais informações consultem o site da Companhia de Ópera do Castelo. Poderão aí encontrar outras propostas de espectáculos.

.
http://www.operadocastelo.com/


segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Quem escreve um conto, acrescenta ...

Para apelar de forma mais intensa ao dom criativo da escrita esta semana decidimos deixar-vos somente os elementos pertencentes à história. Esperamos assim motivar-vos e contar com mais participações. Vá lá soltem-se e deixei emergir o escritor que há em cada um de vós e mostrem-nos o que conseguem fazer com:
  • Uma abóbora
  • Um anão
  • Uma bruxa
  • Há muito, muito tempo...
  • Num Castelo
  • Um feitiço
  • Um berimbau
Deixem-se levar pelas inspirações e coloquem no papel uma história do além!

Boa Sorte

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Quem escreve um conto, acrescenta ...

Temos de confessar que esta primeira ronda nos deixou...surpreendidos e desmotivados, pois face a tantos pedidos e a tanto entusiasmo não conseguimos encontrar uma justificação para a falta de participantes neste nosso passatempo.

Afinal pais, tiveram medo? A inspiração não apareceu? A chuva tomou muito do vosso tempo? Ou afinal o passatempo apresentou-se mais difícil que o esperado e perderam o interesse?

Contudo houve dois participantes corajosos que arriscaram e nos revelaram a sua veia de escritores e nos deliciaram com duas histórias fantásticas. Por considerarmos que aqueles que arriscam e investem merecem sempre um reforço e valorização, esta semana ambas as histórias saem vencedoras e ganham mais espaço no ranking do passatempo.

Aqueles que pelas mais diversas razões não puderam participar contamos com as vossas palavras na próxima semana. Até lá deliciem-se...

Era uma vez uma menina que tinha uma imaginação muito, muito, mas mesmo muito grande. E sempre que imaginava uma coisa tudo em que pensava parecia ganhar vida. Ela via a mãe sempre vestida como um rainha, com cabelos dourados que chegavam ao chão e com a uma coroa que brilhava mais do que o Sol. O pai parecia um valente cavaleiro que usava uma armadura de prata toda fechada e que fazia muito barulho quando andava.

Isto era um problema muito grave para a menina, que todos os dias tropeçava nos cabelos da mãe e que tinha muitas saudades dos beijos do pai e da comichão que o bigode dele lhe fazia na cara. Mas o pior eram os monstros que a seguiam no caminho para a escola. Em vez dos colegas a correr de mochila às costas, a menina só via os monstros com que sonhava à noite.

Então um certo dia a menina decidiu ir ao médico para ver se ele a conseguia ajudar. Quando entrou viu um lobo muito velhinho que usava uma bata branca e tinha uns óculos sobre o nariz. O lobo disse para ela não se assustar e explicou-lhe que era um lobo médico e que ajudava as crianças. A menina explicou-lhe o seu problema e o lobo ficou uns minutos a pensar, enquanto coçava a cabeça cheia de pêlos brancos com uma das patas. Depois sorriu e disse que havia uma maneira muito fácil de resolver o problema, bastava que ela só imaginasse coisas boas.

Nessa noite a menina fez o que o lobo lhe ensinou e imaginou que o tecto do quarto estava cheio de estrelas. Quando adormeceu sonhou que conseguia voar entre as estrelas e que se conseguia sentar na Lua.

No dia seguinte desceu as escadas a correr e quando entrou na cozinha encontrou o pai e a mãe de mão dada. A mãe tinha o cabelo muito comprido mas já não tocava no chão e ela ajudou-a a fazer torradas com doce. O pai vestia uma camisola de lã muito quentinha e ela aconchegou-se no seu colo enquanto comia. No caminho para a escola encontrou os amigos que a chamaram a sorrir e fizeram uma corrida para ver quem chegava primeiro.

O tempo passou e a menina cresceu até ser uma mulher e começou a imaginar menos coisas, porque todos sabem que os crescidos não conseguem imaginar tantas coisas como as crianças. Mas ela nunca se esqueceu do velho lobo e ainda hoje, quando vai deitar os filhos, abraça-os com carinho e contam juntos as estrelas no tecto do quarto.


Rui Bernardo


Era uma vez uma gotinha de água que tinha uma preocupação muito, muito, mas mesmo muito grande.

Esta gotinha vivia numa nuvem bem lá no céu alto. A gotinha gostava muito de lá viver. O ar era muito puro, estava muito perto do Sol quentinho e na nuvem viviam muitas gotinhas amigas. A ideia de sair da nuvem para vir até à terra era uma ideia que não agradava nada à nossa gotinha.

E sempre que o tempo ficava um pouco mais escuro a nuvem onde a nossa gotinha vivia parecia ganhar vida, ficava muito agitada e quase todas as gotinhas de água que lá viviam caiam em direcção à terra.

Isto era um problema muito grave para a gotinha de água. Que se segurava sempre muito bem para não cair. Então certo dia ela foi ao centro da nuvem falar com a mais velha de todas as gotinhas que teve a ideia de dizer à nossa gotinha que tentasse deixar-se cair com as outras gotas. Explicou-lhe que não deveria ter medo de experimentar cair do céu. Contou-lhe que cair do céu podia ser uma aventura fantástica. Podia conhecer o oceano de perto, podia tocar na água de um rio, ou podia sentir as folhas das árvores ou até mesmo os frutos. Cair do céu com todas as outras gotas era uma aventura, mas podia ser muito mais do que uma aventura. Ao cair na terra as gotinhas de água iam ajudar a terra, as plantas e os animais a crescer. Pois todos os seres da terra precisam de água para viver e crescer.

A gotinha nunca tinha pensado daquela forma e toda contente seguiu caminho a pensar na conversa da gotinha mais velha. No dia seguinte, depois de uma noite muito bem dormida e de ter sonhado com a terra e as plantas, com o mar, os rios e os oceanos, a gotinha apetecia-lhe muito experimentar cair na terra e fez uma promessa a si mesma: da próxima vez que chovesse ela não se agarraria com tanta força à nuvem e desde então deixou de ter medo.

Chegou assim um dia em que o tempo ficou mais escuro e a nuvem uma vez mais pareceu ganhar vida, ficou muito agitada e várias gotinhas começaram a cair. A nossa gotinha encheu-se de coragem, respirou fundo e juntamente com outras gotinhas deixou-se cair.

E depois sabem o que sucedeu?

A gotinha iniciou uma viagem grande. Assim que ficou mais perto da terra sentiu-se a tocar nas folhas de uma árvore muito grande e foi escorregando de folha em folha.

Era uma sensação muito boa.

De uma folha passou para cima de uma bolota, esta nossa gotinha de água estava em cima de um carvalho, e foi escorregando de bolota em bolota, e de folha em folha.

A gotinha estava a adorar a viagem mas só pensava que nunca mais tinha fim.

O fim chegou e não demorou muito. Da última folha a gotinha caiu em cima de uma flor linda que assim que sentiu a gotinha sorriu dizendo Obrigada.


Xana Bernardo

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Como gerar optimismo

Pois é, por vezes as nossas palavras são tudo...
Para quem não conhece o livro, Educar para o Optimismo, aqui fica um ponto bastante interessante:

Quando , à tarde, os vossos filhos chegam a casa, muitas vezes lhes perguntamos como lhes correu o dia... Nem sempre as respostas são positivas, podem surgir frases do género: O amigo bateu-me. Portei-me mal na sala. Entre outras coisas...

Experimentem fazer a pergunta da seguinte forma:

"Viva, filhota! Então o que é que te aconteceu hoje de bom na escola?" ou "Fala-me das coisas mais giras do teu dia!" Assim, estaremos a direccionar o olhar dele/a sobre a experiência que passou por forma a ir em busca das memórias positivas. A tonalidade dada à vida será mais vivaz se ela aprender, sistematicamente, a procurar o positivo das experiências, e a nós cabe-nos a tarefa de o/ a ajudar a olhar.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Dia Mundial da Alimentação

Hoje é o dia Mundial da Alimentação e nós tivemos acesso a este estudo:

"Primeiro estudo nacional mostra que a obesidade atinge já um terço dos meninos em idade pré-escolar. Uma maior prevalência que nos adolescentes.

Em Portugal, 29% das crianças entre os dois e os cinco anos têm excesso de peso. E 12,5% são obesas. É a conclusão do estudo da Plataforma Contra a Obesidade, que hoje será apresentado no âmbito do Dia Mundial da Alimentação, e que, compara este grupo etário ao dos adolescentes (11 a15 anos). Demonstra que os mais novos estão mais gordos e que a dieta tem de começar logo no berço.

O Estudo de Prevalência da Obesidade Infantil e dos Adolescentes em Portugal Continental é o primeiro a ser realizado a nível nacional para estimar a prevalência do excesso de peso (pré-obesidade) e da obesidade em crianças e adolescentes. E confirma uma tendência que os especialistas têm constatado na prática clínica: os problemas de obesidade começam com crianças cada vez mais novas. O que significa que, se não forem tomadas medidas, teremos, no futuro, jovens e adultos muito mais obesos, sublinha João Breda, coordenador da Plataforma Contra a Obesidade (PCO).

A prevalência de crianças obesas dos 2 aos 5 anos é de 12,5%, mais 1,2% que no grupo dos 11 aos 15 anos. E a pré-obesidade afecta 29% deste grupo, mais 0,8% do que entre os adolescentes. E, neste último segmento, as prevalências diminuem com a idade. Em ambos os grupos, as raparigas revelam maiores problemas de gordura que os rapazes.

Há praticamente uma criança com excesso de peso em cada três no nosso País, quando a média europeia é de uma em cinco.

Isabel do Carmo, presidente do conselho científico da PCO, refere que as prevalências de obesidade infantil em Portugal são semelhantes às verificadas em Itália, Grécia e Espanha. Precisamente, os países onde se elogia a chamada dieta mediterrânica.

"Pode parecer um paradoxo, mas uma coisa é o que as pessoas comem no prato e outra é o que comem fora do prato", sublinha Isabel do Carmo. O problema mais grave são os erros alimentares que se cometem entre as refeições.

O estudo foi realizado em Portugal Continental e encontram-se mais diferenças entre sexos do que entre as regiões. Há mais adolescentes obesas no Sul do país, enquanto que a prevalência é maior entre os rapazes que residem no Norte. Em relação aos mais novos, não é feita uma diferenciação de género, sendo que as maiores taxas registam-se no Norte e no Algarve.

Tal como nas crianças, referem os autores do estudo, coordenado por A. Galvão-Teles, a escolaridade dos pais parece "condicionar mais a prevalência de excesso de peso e de obesidade nas raparigas ". Além disso, os adolescentes cujos pais têm menos que nove anos de escolaridade tendem a apresentar as percentagens mais elevadas quer de excesso de peso, quer de obesidade.

No caso das crianças entre os 2 e os 5 anos, são sobretudo as que têm pais com menos de seis anos de ensino que apresentam maiores índices de obesidade.

"A educação alimentar deve começar desde cedo e a partir do momento em que a criança tem a sua diversidade alimentar completa", defende Rodrigues Abreu, um dos autores do "Grande Livro da Alimentação Infantil ". O principal obstáculo que encontra é "a vida ocupada dos pais, tornando-se difícil pensar e antecipar as escolhas alimentares". Isto porque "a disponibilidade de alimentos é muito maior actualmente e torna-se imperativo saber escolher".

Os dados do estudo da PCO serão tratados no âmbito da tese de doutoramento de Ana Miranda e de mestrado de Inês Santos. Incide sobre uma amostra de 2560 adolescentes e 2243 crianças entre os dois e os cinco anos. Os critérios para medir a obesidade são os norte-americanos, do Center for Disease Control and Prevention, e que definem os níveis de crescimento médio das crianças."

in Diário de Notícias

Quanto a nós só nos resta acrescentar: uma alimentação saudável faz uma criança saudável! Vamos todos ter atenção e mais cuidado em relação à alimentação e seus excessos.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Quem escreve um conto, acrescenta ...

Vamos lá então deixar a dica para a primeira ronda de histórias...




Era uma vez uma____________________que tinha uma______________muito, muito, mas mesmo muito grande. E sempre que ______________ a ___________ parecia ganhar vida, ficava ______________________e quase_______________________. Isto era um problema muito grave para a _____________________. Então certo dia ela foi ao____________________ falar com _______________________________________ que teve a ideia de _______________________________. A ____________________ toda contente seguiu caminho a pensar na________________. No dia seguinte, depois de uma noite ___________________e de ter sonhado com ________________________, a _____________ fez ____________ __________________________e desde então__________________. E depois _______________________________________________. O fim chegou e___________________________________________.





Fomos amigas não fomos? Mas é só no começo e para despertar a inspiração em cada "escritor".
Queremos lembrar que isto é apenas uma base para estruturarem a vossa história, podem acrescentar coisas e fazer pequenas alterações ao sabor da vossa imaginação. Para quem não tem jeito com as palavras e usa melhor a caneta para os rabiscos, força desenhem a vossa história que as nossas crianças tratarão da parte do texto.

Ponham mãos à obra e surpreendam-nos.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O novo passatempo já chegou!

É verdade a pedido de várias famílias e depois de muitas lâmpadas fundidas na busca de uma ideia genial, magicámos finalmente o nosso novo passatempo. Este espaço de troca e diversão vai exigir dos nossos participantes muita imaginação, criatividade e empenho.

Digam lá...quem é que não gostaria de se tornar um escritor de histórias infantis? Quantos de vós não adoraria mergulhar por uns momentos no mundo fantástico e ilimitado do Era uma vez...?

Pois bem por considerarmos que é maravilhoso fazer-vos descer ao mundo dos mais pequenos e nutrir um pouco da criança que existe em cada um de vocês, apostámos que seriam capazes de todas as semanas criar uma história infantil jamais sonhada, escrita e lida. Não se assustem, pois todas as segundas feiras damos a base da história, dicas que podem ser preciosas para a elaboração da mesma. Ao longo da semana devem enviar as vossas magnificas criações para o e-mail da nossa escola, mas podem sempre deixar comentários sobre o passatempo e a vossa experiência criativa, mas sempre sem revelar a vossa história ou dar pistas, para não influenciar a imaginação alheia.
As histórias são avaliadas pela equipa educativa, tendo em conta os seguintes critérios: imaginação, criatividade, escolha de personagens, elaboração do enredo, construção narrativa e desfecho.
Assim, procurem inspiração e ponham mãos à obra em busca quiçá do próximo Prémio Nobel da Literatura. Bem não se entusiasmem demais pois o nosso prémio não corresponde a tais parâmetros. O "Escritor" com a melhor história da semana poderá vê-la publicada no nosso blog todas as sextas feiras e, no fim do passatempo, o autor com mais histórias publicadas verá a sua obra editada em "livro" ilustrado pelas nossas crianças e lido pelo próprio em todas as salas.

O que acham?
Amanhã lançaremos as nossas dicas e, excepcionalmente para que ganhem inspiração e confiança, alargamos a primeira ronda até à próxima semana.

Soltem a criança escritora que há em vós!

sábado, 10 de outubro de 2009

Sugestões

Museus e Património...

Em Família


Domingos das 10h às 13h


"Procurando valorizar as actividades dos serviços educativos dos museus e monumentos dependentes do Ministério da Cultura, através do Instituto dos Museus e da Conservação, IP (IMC) e do Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR), o projecto “Em família… nos museus e no património” propõe o desenvolvimento de actividades de fim-de-semana dirigidas às crianças e jovens, pretendo-se envolver os núcleos familiares no usufruto de um conjunto de ofertas de actividades nos Museus e Património. Pela sua importância histórica, documental e museológica, este programa vai envolver alguns dos mais reconhecidos museus, palácios e monumentos no território nacional."

Para mais informações:


http://www.imc-ip.pt/domingos

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Actividades Extra-Curriculares

Começaram oficialmente as actividades extra-curriculares na nossa escola! Dança, Música, Natação ou Inglês... Para todas as actividades, as crianças demonstram pequenas vocações até agora escondidas. A partir do mês que vem os pais curiosos já podem espreitar estas actividades que tanto prazer dão às nossas crianças.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Dia Internacional da Música

Ontem foi o dia Internacional da Música e nós cá pelo colégio decidimos comemorar este dia da melhor forma, ou seja com um ensemble de sopros.

O Dia Internacional da Música foi proposto e celebrado pela primeira vez em 1975 pelo grande músico e violinista Yehudi Menuhin na altura Presidente do Conselho Internacional da Música (International Music Council)

São seus objectivos:
-a promoção da arte musical em todas as secções da sociedade
- a aplicação dos ideais da UNESCO de paz e amizade entre os povos
-a evolução das culturas, a partilha de experiências e a apreciação mútua dos diversos valores estéticos (...)

Todos os meninos de todas as salas assistiram com atenção e grande interacção a este concerto privado de instrumentos de sopro. Cinco músicos tocaram o oboé, a flauta transversal, o clarinete, a trompa e o fagote. Cada músico apresentou o seu instrumento com uma pequena peça.


video

Depois o quinteto de sopros tocou o reportório do programa com muito entusiasmo e alegria!

Foi um dia em cheio, com momentos fantásticos e em que todos estiveram com grande atenção e concentração. Aqui fica um cheirinho da nossa tarde musical. E aí em casa houve reacções?

video